Os Impossíveis recebem novas aquisições

Cansados do marasmo, o Paulo e eu decidimos nos puxar. Colocamos um objetivo concreto para a banda, senão o negócio não anda. Vai ter um Festival Beatles em agosto e queremos tocar nesse festival. Quem sabe não levamos algo?

Com o Flavinho com pouco tempo, resolvemos estender a banda e integrar novos instrumentos, necessários para a nova empreitada. Decidimos que tínhamos que ter mais um baterista e mais um guitarrista/baixista, para complementar a banda. Convidamos caras de alto gabarito e posso dizer que fiquei extremamente feliz em recebermos um “sim, aceito” deles.

Quem são os novos componentes:

Diego Silveira – Integrante da “Relógios de Frederico”, “Faskner” e “Kung Fu”. Bom, o Diego é um animal na bateria. O último show dele da Kung Fu eu quase surtei. Quando soube que o Paulo queria convidá-lo, até disse: “Bah, o cara toca muito. Eu não sou digno de ter ele tocando comigo!”. O Paulo retrucou: “Tu és mais que importante, tu és a alma da banda!”. Obrigado, meu amigo. Fiquei lisonjeado e quieto, é claro, vermelho de vergonha. Melhor de tudo: o Diego aceitou! Vivas!

Eduardo Christ – Integrante da “falecida” Graforréia Xilarmônica. Só. Preciso dizer mais? O Eduardo foi meu colega quando cursei História na UFRGS e logo de cara, tive uma empatia com ele. Quando eu e o Paulo discutimos de aumentar a banda para aumentar as possibilidades, eu pensei direto no Eduardo. Mandei um e-mail para ele e ele disse “SIM!”. MUI-TO BOM!

O melhor de tudo é saber que temos muitas afinidades musicais. Acho que a banda vai ultrapassar os limites do Festival Beatles em agosto.

Mas agora, será que continuamos com o nome “Os Impossíveis”? Passamos de trio para quarteto e a falta do Flávio vai tirar o sentido do nome, creio eu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.