Por que a Pantera e o Jaguar?
Muitos macmaníacos me perguntam por que o meu horror pelas versões do Mac OS X anteriores ao Jaguar (10.2) e o Panther (10.3). Na verdade, a questão é bastante simples. A partir do Jaguar, foram feitas alterações importantes na estrutura do Mac OS X que garantiram uma maior estabilidade e melhora no processo de gerenciamento de memória, base para todo o sistema operacional; além disso, a cada nova versão houve uma otimização de seus subsistemas (revisão de como o software foi feito, para tornar sua execução mais inteligente e ágil), o que levou a um ganho de performance significativo, mais notável na última versão, o Panther (Mac OS X 10.3). Inclui-se também os novos recursos para o usuário e o fato de que escrever software para estes sistemas ficou muito mais fácil, o que faz com que a maioria dos programas atuais para Mac tenham a versão 10.2 como base.

O Jaguar roda em praticamente todos os Macs compatíveis com o Mac OS X, ou seja, não tem nenhum motivo para que os usuários não façam a atualização para essa versão, no mínimo. Mesmo os usuários de Macs sem USB embutida (requisito mínimo para rodar o Panther) têm uma grande gama de opções, pois como eu disse, o Jaguar é base para a maioria dos programas atuais.

A melhor notícia é que a forma que a Apple estruturou o Mac OS X vai possibilitar a correção de problemas e otimização dos programas mais facilimente; teremos melhores programas em menos tempo. Isso significa que a Apple vai ter cada vez mais tempo para produzir mais e mais novidades que tanto adoramos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.