10 dicas de David Ogilvy para saber como escrever bem

Expressar-se bem não é só uma habilidade necessária para o trabalho, é uma obrigação para a vida. “Quem não se comunica, se trumbica”, já dizia o Velho Guerreiro. Escrever bem faz parte dessa habilidade.

“Nunca escreva mais de duas páginas sobre qualquer assunto.”

Expressar-se bem não é só uma habilidade necessária para o trabalho, é uma obrigação para a vida. “Quem não se comunica, se trumbica”, já dizia o Velho Guerreiro. Escrever bem faz parte dessa habilidade.

Pois aqui estão algumas pérolas de sabedoria de uma lenda da cultura publicitária: o icônico empresário e original “Mad Man”  David Ogilvy. No dia 7 de setembro de 1982, Ogilvy enviou o seguinte memorando para todos os seus empregados, entitulado “Como escrever”:

Quanto melhor você escrever, mais alto chegará na Ogilvy & Mather. Pessoas que pensam bem, escrevem bem.

Pessoas confusas escrevem textos confusos, cartas confusas e discursos confusos.

Uma boa redação não é um dom. Você precisa aprender a escrever bem. Aqui estão 10 dicas:

1. Leia o livro de Roman-Raphaelson sobre como escrever*.  Leia-o três vezes.

2. Escreva da maneira que você fala. Naturalmente.

3. Use palavras curtas, frases curtas e parágrafos curtos.

4. Nunca use palavras-jargão como reconceitualizar,desmassificaratitudementejulgamentalmente. Elas são marcas características de um bundão pretensioso.

5. Nunca escreva mais de duas páginas sobre qualquer assunto.

6. Verifique suas citações.

7. Nunca mande uma carta ou um memorando no dia que você o escreveu. Leia-o em voz alta no outro dia de manhã — e então revise-o.

8. Se for uma coisa importante, peça a um colega para melhorá-lo.

9. Antes de você mandar sua carta e seu memorando, tenha certeza que está claro como cristal o que você quer que o destinatário faça.

10. Se você quer AÇÃO, não escreva. Vá até a pessoa e lhe diga o que você quer.

David

* Se trata do livro “Writing That Works; How to Communicate Effectively In Business“, de Kenneth Roman e Joel Raphaelson.

Isso, e muito mais dos conselhos atemporais de David Ogilvy podem ser encontrar em The Unpublished David Ogilvy: A Selection of His Writings from the Files of His Partners. O livro está esgotado, mas dá para encontrar a versão digital na Amazon. Vale o que pesa em bits.

[Dica do Brain Pickings, via Henrique Bente.]

Edição comentada das aventuras de Sherlock Holmes

Cinco volumes editados pela Ediouro, em tamanho grande e com ilustrações

Eu sempre quis ter uma edição completa das aventuras de meu detetive predileto, criação máxima de Sir Arthur Conan Doyle, Sherlock Holmes. Um tempo atrás, encontrei na livraria Cultura uma edição em papel-jornal, baratíssima, que era uma reunião completa dos fac-símiles originais, em Inglês. Comprei e me dei por satisfeito.

Mas foi apenas por alguns dias. Logo depois dei de cara com esta “Coleção Sherlock Holmes – Edição Comentada e Interpretada” da Ediouro, em tamanho grande, versada para o Português.

Óbvio que fiquei com vontade desta outra, não só pelo formato mas também pelos comentários. Sempre me interessa saber mais um pouquinho que seja sobre meu ídolo de capote e cachimbo. O problema é que na Cultura só tinha UM volume e creio que, à época, só havia sido lançado um mesmo.

Eis que hoje topo com a edição completa da Ediouro e mais, com um precinho camarada. Se não for hoje, até o final da semana eu compro!

Interessou? Tá em oferta no Submarino: de R$ 427,50 por R$ 199,00.

Vale muito!

Óculos

Ponho óculos
Tudo é certo
Tudo está reto
Tudo abre
Tudo é

A perna da gorda
Não é cheia
É gorda

O braço da magra
Não é fino
É magro

O rosto da noite
Não é fechado
É aberto

Tiro os óculos
Tudo é escuro
Tudo é incerto
Tudo não sei

A noite me abraça