O que significa “slug” no WordPress?

Um dos termos mais comuns quando a gente começa a trabalhar com o WordPress, principalmente quando pensamos em SEO, é SLUG.

O WP Glossary, de Anders Nóren, define slug assim:

Um slug é um texto inteligível de um URL que representa um post, página, tag ou categoria, usualmente construído a partir do título do conteúdo que ele representa.

Talvez não seja tão óbvio, mas o segredo da definição é “inteligível”, ou seja, fácil de entender, mas também fácil de lembrar.

O WordPress se destaca justamente pela capacidade de gerar URLs claras e fáceis de entender tanto por humanos quanto por computadores, especialmente os motores de busca, como o Google, Bing e DuckDuckGo.

Para facilitar a nossa vida, o WordPress já gera automaticamente um slug para nossas páginas e artigos, a partir de seu título. Então um texto que tem um título “Código é poesia” no meu blogue, poderia ter um slug como esse: marcoandrei.com/codigo-e-poesia.

A palavra slug, em Inglês, tem origem no Jornalismo. “Slug” é uma ou mais palavras que identificam uma notícia específica de uma edição entre os profissionais da redação. No Brasil, a tradução desse termo seria “retranca”.

Mas um slug no WordPress não identifica só um texto ou página. Um slug é uma palavra ou uma sequência de palavras que ajudam a identificar um elemento do WordPress de maneira  intuitiva e inequívoca.

Ele é usado e aparece mais obviamente quando vamos trocar os links permanentes das páginas de nosso sítio, mas dentro da programação do WordPress, também usamos slugs para identificar, de maneira única, outros elementos como widgets, instâncias de tipos personalizados de post e outros.

 

Como resolver o erro: “Parece que em sua instalação do PHP está faltando a extensão MySQL, que é requisitada pelo WordPress.”

Problemas depois de atualizar teu WordPress em uma hospedagem Locaweb? A solução está aqui.

Uma das reclamações frequentes sobre a hospedagem Locaweb é que a versão padrão do PHP (pelo menos nos planos mais antigos) é a 5.2, já descontinuada há tempos.

Para alguns usuários do WordPress, isso pode não ter sido problema até agora, mas se tu tens preocupação com a segurança do teu sítio, certamente podes ter recebido uma mensagem desagradável ao atualizar o software:

Parece que em sua instalação do PHP está faltando a extensão MySQL, que é requisitada pelo WordPress.

É uma mensagem um tanto criptográfica, afinal de contas, ANTES da atualização, teu sítio rodava normalmente e isso indica que certamente a “extensão MySQL” estava presente, certo?

Pois bem: ainda não pude entender o porquê desse erro exótico, mas se tu és usuário da Locaweb, posso garantir que a solução é simplesmente atualizar a versão do PHP.

Passo-a-passo:

1. Visita o painel de hospedagem da Locaweb em: https://painelhospedagem.locaweb.com.br. Entra com teu usuário e senha.

2. Escolhe o domínio no qual o sítio com erro está hospedado, apertando o botão [Administrar o site], à direita.

3. Nas “Informações gerais”, verás a versão atual do PHP para essa hospedagem. No meu exemplo, eu já tenho a versão 7.1 (atualizada).

4. Clica em “Configurar Versão” e no diálogo que aparece, escolhe a versão mais atualizada que estiver disponível.

5. Feito! Como mágica, teu WordPress vai voltar a funcionar.

Tiveste o mesmo problema com outro provedor? Deixa teu comentário com contando tua experiência!

Ativar o modo de manutenção do WordPress sem um plug-in

Saiba como usar a função interna que é acionada sempre que fazemos as atualizações rotineiras de plug-ins e temas.

Existem diversos plug-ins para o WordPress que nos ajudam a colocar uma tela “em breve” ou “em manutenção” para quando queremos mudar alguma coisa no nosso sítio e sem que os usuários recebam mensagens aleatórias ou tentem algo enquanto se está fazendo a atualização.

O que poucos sabem, no entanto, é que o WordPress já tem essa função embutida no seu núcleo, função essa que é acionada sempre que fazemos as atualizações rotineiras de plug-ins e temas.

Penso que essa é a melhor escolha para quem não quer adicionar mais um penduricalho na sua instalação WP, ao mesmo tempo que se tem uma funcionalidade simples de usar e eficaz.

entendendo o arquivo .maintenance

Primeiramente, é preciso criar um arquivo chamado .maintenance no diretório-raiz da instalação WordPress. É a mesma pasta do arquivo wp-config.php. (O ponto antes do nome do arquivo significa que ele deve ser considerado um arquivo oculto.)

Dentro deste arquivo, vamos adicionar a seguinte linha:

<?php $upgrading = time(); ?>

A variável $upgrading contém uma estampa de tempo que define o período em que o WP estará em modo de manutenção.

Na verdade, o WordPress faz uma verificação (que está em wp-settings.php) de dois passos para acionar o modo de manutenção:

1) O arquivo .maintenance está no diretório-raiz?

2) A condição a seguir é verdadeira?

Hora atual - $upgrading < 10 minutos

Como estabelecemos que $upgrading é sempre a hora atual, ou seja, a condição é sempre verdadeira, o WordPress ficará em modo de manutenção até que se apague o arquivo.

Isso nos leva a outra funcionalidade: acionar o modo de manutenção apenas por um período determinado.

Estudando a fórmula acima, entendemos que $upgrading deverá ter a hora que queremos parar o modo de manutenção MENOS 10 minutos. Ou seja, para ativar durante 40 minutos,  precisamos especificar a hora atual MAIS 30 minutos (40 menos 10):

<?php $upgrading = time() + (30 * 60); /* 30 vezes 60 segundos */ ?>

Usando esta opção, após o período especificado, o WordPress voltará ao ar, mas será mostrada uma mensagem: “A atualização do WordPress falhou — tente realizar atualização novamente” até que se apague o arquivo .maintenance.

A menos que se tenha o período pré-determinado (o que normalmente não acontece), provavelmente o primeiro método será o mais indicado para tua aplicação.

Usar um plug-in certamente é o mais fácil para os neófitos, mas poder configurar o modo de manutenção manualmente é uma boa maneira de aprender um pouco mais sobre o WordPress.

Criando um tema WordPress usando Underscores (_s)

Para acelerar e facilitar nossa tarefa de construir um tema, vale a pena conhecer o Underscores (_s), um gabarito criado pela equipe da Automattic que serve de base para a criação de novos temas para o WordPress.

Por que o Underscores (_s)?

Uma das atividades cotidianas para o desenvolvimento de um website no WordPress é a criação de um tema, que contém o visual das páginas e também reúne algumas funcionalidades.

Mas apesar da farta documentação e facilidade para entender a estrutura dos temas para WordPress, criar um tema do zero pode ser uma atividade extensa, que se toma muito tempo para desenvolver as partes mais básicas.

Para acelerar e facilitar nossa tarefa de construir um tema, vale a pena conhecer o Underscores (_s), um gabarito criado pela equipe da Automattic que serve de base para a criação de novos temas para o WordPress.

Desenvolvido em 2012, o Underscores é uma evolução do tema Toolbox, que era oferecido como tema inicial no serviço WordPress.com. Ainda hoje, o _s é base para uma série de temas produzidos pela própria Automattic, incluindo os temas disponibilizados no pacote de instalação e já está sendo atualizado para suportar o novo Gutenberg.

Além de uma base forte para teu tema, o Underscores ainda é recheado de ajustes e quitutes que aceleram o desenvolvimento e também dão uma melhorada no visual.

O que Underscores tem?

  • Um conjunto de modelos de página finamente desenvolvidos em HTML5, modernos e bem comentados.
  • Um modelo de página 404.
  • Código-exemplo para a implementação do recurso de cabeçalho personalizado, em inc/custom-header.php.
  • Conjunto de marcações personalizadas em inc/template-tags.php para manter seus modelos limpos e arrumados, evitando a redundância de código.
  • Alguns ajustes em inc/template-functions.php que podem aprimorar a experiência com teu tema.
  • Um conveniente script JS em js/navigation.js que transforma o menu principal e seus itens (abertos em telas maiores) para um simples botão que abre o menu, para telas menores.
  • Dois exemplos de leiaute CSS emlayouts/ para posicionar uma barra lateral à esquerda ou à direita.
  • Um folha de estilos CSS mínima, mas finamente organizada e detalhada em style.css que ajuda (e muito!) a montar o visual de nosso tema rapidamente.

E tudo isso licenciado sob GPLv2, ou seja, podemos usar livremente sem se preocupar com questões legais. 🙂

Como usar o Underscores?

Acho que a melhor maneira de começar e é meter a mão na massa. E como se não fosse sensacional ter todo esse código pronto, ainda é muito fácil personalizar o gabarito antes mesmo de baixá-lo.

1) Acessa a página do Underscores, em underscores.me. Clica em “Advanced options” para ver as “opções avançadas”.

2) Preenche com um nome para o tema, um “slug” (identificador único), nome do autor, endereço do autor na Web e um descritivo (no meu caso, “um tema cuera*”).

3) Aperta “Generate” para gerar teu novo tema baseado no _s e baixar o pacote.

Agora é só usar como um pacote de tema comum do WordPress, subindo o ZIP em Aparência > Temas no administrador. Em Aparência > Personalizar dá para ver as opções que estão ativadas por padrão e começar a ajustar o leiaute.

Em um próximo artigo pretendo detalhar as entranhas do tema, mas se quiseres saber mais sobre esse excelente starter theme, faz meu curso Criando temas WordPress com Underscores. Te inscreve aqui!